Basta um dia lindo de sol para a área externa de 12 m² ser disputada pela família da arquiteta Flavia Resstom, proprietária desta casa no Jardim Europa, capital paulista. Para chegar até o banco de madeira, onde os bate-papos acontecem, é preciso passar pelo caminho de dormentes de madeira de demolição, pensado para colaborar com a sensação de estar fora da paisagem urbana. tudo ideia da paisagista Paula Magaldi: “A madeira sempre é um bom recurso para tornar qualquer ambiente acolhedor. se ela for proveniente de reaproveitamento, melhor ainda”, diz Paula. antes das peças serem instaladas, a terra precisou ser recortada no tamanho de cada dormente que foi encaixado no recuo. Para trazer frescor ao jardim, a paisagista escolheu a sombra da jabuticabeira, os podocarpos rentes ao muro, as bromélias e os maciços de gardênia.

Reaproveitados, os dormentes foram encaixados em recuos recortados na grama. Para não perder o visual rústico da madeira, as peças não precisaram de verniz ou qualquer outro acabamento.

 

Fonte: Casa e Jardim